slots 777

Luciana Bugni

Luciana Bugni

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Record tenta se redimir com Ana Hickmann após anos apoiando abusadores

Ana Hickmann fez um novo vídeo assumindo que não está bem — ela menciona a importância de zelar pelo filho e fala sobre como qualquer mãe faria isso em seu lugar. O garoto presenciou uma briga em que o pai, Alexandre Corrêa, ameaçava a mãe com cabeçadas e prendeu seu braço em uma porta. Ela chegou a apresentar o programa Hoje em Dia com hematomas no braço.Na Record, na gravação de seu programa na segunda-feira, ela agradeceu o apoio do público. Em novo vídeo em seu canal no YouTube, reafirma que ainda não está preparada para falar, pois quer poupar o filho. Alexandre pediu desculpas, depois retirou o que disse em rede social. Ainda apagou as fotos com o filho de seu perfil.Se a preocupação dos fãs de Ana era que ela ainda estivesse envolvida no ciclo da violência — aquele em que, depois da agressão, acontece a lua de mel —, parece que o jogo virou. Pelas manifestações públicas, apesar de sempre discreta, ela não parece interessada em voltar a se relacionar com Alexandre.

A emissora em que trabalha, entretanto, nunca foi tão interessada em usar a situação como bandeira antiviolência contra a mulher. Na Record, o que não falta é exemplo de passada de pano para abusador. Basta lembrar que A Fazenda premiou homens que violentaram mulheres, como Dado Dolabella, campeão, e Biel, vice. Nego do Borel passou por algumas situações violentas, foi acusado de estupro e, mesmo assim, foi poupado, gerando a dúvida: por que as pessoas se unem para defendê-lo? No caso do cantor, a Record poderia inclusive ter evitado o crime.

A Hora do Faro abre espaço para um ex que cometeu erros pedir perdão à mulher — e ai dela se não perdoar, né? Escola do Amor, programa de Cristiane Cardoso, ensina pessoas a manterem casamentos, sem se importar se a relação é saudável ou não.Sob o preceito religioso da importância da família, vale tudo para manter a relação. Não importa a que custo quando estão só os dois da porta para dentro.É lógico que ninguém casa pensando em se separar. Para o relacionamento funcionar, é preciso ceder muito (dos dois lados) e não dá para desistir de tudo no primeiro desentendimento. Mas existe um momento em que é a hora de parar. A tristeza no olhar de Ana estampa o quanto é ruim para ela que isso esteja acontecendo — a família dilacerada, a falta física que faz alguém a quem se ama.Mas tem também o outro lado: o do alívio. A gente sabe a hora de parar um relacionamento que só vai ladeira abaixo. É uma decisão muito particular em que não cabe a interferência dos "apoiadores da família".Depois de anos de passada de pano, a Record tenta se redimir com Ana Hickmann, permitindo que seu elenco faça postagens apoiando a apresentadora, por exemplo. O que fariam se o abusador fosse um homem de seu casting? A pergunta já nasce com uma resposta pelo retrospecto.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes
{ } | {slots 777}| {slots 777}| {slots 777}| {slots 777}| {slots 777}| {slots 777}| { } | {jogo slots 777}| {slots 777}| {slots 777}|